FECHAR
Popup
 

scj.org.br

PT

ES

 

Somos
Dehonianos

"Por Ele vivi, por ele morri". (Pe. Dehon)
Nossa congregação nasceu do Coração de Jesus, no coração da Igreja, para o coração do mundo. Em 1878, Pe. João Leão Dehon, sacerdote francês, atento ao apelo do Espírito, depois de perceber em seu coração haver recebido a graça e a missão de enriquecer a Igreja com uma nova Congregação, diz seu “Eis-me aqui” e funda os Oblatos do Coração de Jesus, hoje, Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Duas palavras nos são particularmente caras: oblação e reparação. Oblação significa entrega. E nós entregamos a nossa própria vida a Deus, mas não o fazemos sozinhos... Unimo-nos à oferta que Cristo faz de si mesmo ao Pai. Oblatos que somos, oferecemos nossa vida, nossas ações, nossos trabalhos, estudos, alegrias, sofrimentos e esperanças como reparação pelos males do mundo. Em outras palavras, nos unimos a Cristo em sua missão de restaurar a humanidade, ferida pelo pecado e pela injustiça. O coração representa o amor, o afeto, a entrega incondicional. Somos homens do coração, porque somos antes do Coração. Bebemos com alegria da fonte do Coração de Jesus e o amor que experimentamos dele, e partilhamos na vida fraterna, estendemos à humanidade. Hoje ofertamos nossa vida em mais de quarenta países e somos mais de 2.400 religiosos. Estamos onde o “hoje de Deus” nos pede estar, trabalhando com o apostolado paroquial, com a comunicação, educação, missão ad gentes... Onde há algo a reparar, aí estamos e estaremos nós, reparadores!
Somos
DehonianosSomos
DehonianosSomos
DehonianosSomos
Dehonianos
 
  • Vocacional

    O acompanhamento vocacional consiste em um mútuo conhecimento. A Congregação conhece o vocacionado, ainda que superficialmente, e o vocacionado conhece a Congregação. Juntos, vocacionado e Congregação, se põem à escuta da voz de Deus, na busca de identificar qual é a Sua vontade. Não se trata de simplesmente sondar qual é a vontade do vocacionado ou da Congregação, mas acolher e aceitar os sinais que Deus sutilmente lhes dá.

  • Ensino médio

    Vivido o processo de acompanhamento vocacional, o vocacionado é convidado a dizer o seu primeiro “sim”. Hoje nossa província acolhe candidatos ao ensino médio e também aqueles que já o concluíram. Esta primeira etapa da formação inicial é o momento em que são lançados os alicerces para o caminho que o vocacionado vai percorrer. Todos os seminaristas têm formações internas, que visam oferecer ferramentas para o autoconhecimento.

  • Filosofia

    A etapa da filosofia também é conhecida como etapa de discipulado. Supõe-se que o seminarista, com base no que aprendeu na etapa anterior, já tenha maior convicção de sua opção por Jesus e disposição em assumir a “disciplina” de um discípulo. Os conhecimentos filosóficos ajudam o seminarista a conhecer-se, a pôr-se em contato com as mais diferentes linhas de pensamento e a madurar a sua fé.

  • Postulantado

    Postular significa pedir. Depois das etapas precedentes, com base em tudo o que o seminarista viveu e conheceu da Congregação, agora pedirá oficialmente ingresso em nosso instituto. O postulantado é um período fortemente marcado pelo autoconhecimento.O postulante vive nesta etapa um processo de conhecer com maior propriedade a congregação, a vida do fundador, os aspectos próprios que caracterizam nosso “ser dehoniano”.

  • Noviciado

    O noviciado tem a duração canônica de um ano e é um período decisivo da formação. As formações no noviciado englobam a história da vida religiosa, a teologia dos votos, o estudo da Regra de Vida e do Diretório Espiritual. Assistidos por um mestre, os noviços vivem com intensidade a busca por configurar-se ao Mestre (com maiúscula): encontrar as motivações necessárias para professar os votos e aderirem a Cristo. Após um ano, sai de lá religioso do Coração de Jesus.

  • Tirocinio

    Tirocínio é um período de experiência de vida comunitária e de ação pastoral. O neoprofesso, o novo religioso do Coração de Jesus, vai para uma comunidade da Congregação e aí é convidado a ser sinal do amor de Deus. Neste período, o professo de votos temporários (a quem chamamos “frater") sai da estrutura de uma casa de formação e vai viver sua formação aplicando o já aprendido na missão que Deus lhe confia.

  • Teologia

    A teologia, também conhecida como etapa configurativa, é a etapa na qual o religioso põe-se em contato com o pensamento teológico. Deve conciliar com a vida de estudos a sua opção por Jesus, configurando-se a Ele. É o tempo de preparar-se também para a recepção dos ministérios, da profissão perpétua e, no caso dos que aspiram ao sacerdócio ministerial, da ordenação presbiteral.

  • Formação permanente

    A formação inicial se encerra no momento da profissão perpétua. Desde a profissão perpétua, o religioso vive uma etapa ainda mais longa, dado que nunca tem fim: a formação permanente. Considerando que “formar-se” significa “dar forma”, o religioso, que nunca está totalmente acabado, continua seu processo formativo na escola do coração de Jesus. A formação permanente visa cultivar nos religiosos esse sentimento de atualização, de conhecer as novidades da Igreja e do Mundo.

VIDA
CONSAGRADA

Somos religiosos consagrados. Isto significa que buscamos viver com radicalidade as promessas que assumimos em nosso Batismo, sendo sinal na vida do mundo. Vivemos segundo nossa Regra de Vida, abraçando a vida comunitária e professando os votos de Castidade, Pobreza e Obediência. Em um mundo de libertinagens, somos castos; em um mundo de ganância, somos pobres; em um mundo marcado pelo egoísmo e pelo arbítrio, somos obedientes. Por nosso mérito? Não... Por nosso esforço, sim, mas generosamente assistidos pela graça de Deus. Um religioso é um apaixonado por Cristo, Ele é o esposo com o qual nos unimos e a quem dedicamos toda a nossa vida. Para quê? Para nos assemelharmos mais a Ele, amarmos como amou, vivermos como viveu e agirmos como agia. No amor infinito do Deus-Amor encontramos um tesouro que a nenhum outro se compara.
 

PRÓXIMOS
ENCONTROS
VOCACIONAIS

28 a 30.AGO
20 a 22. NOV
Quero ser padre
 
 
  • Erik Patrik Fantini, 23 anos, Brusque-SC
    “Quando escolhi viver o carisma dehoniano, aceitei a vida comunitária como um dos grandes pontos. Aceitei viver com as diferenças daqueles que vivem comigo, mas mesmo assim viver com a alegria do Coração de Jesus, a felicidade de ter o coração repleto do amor de Deus, estando pronto para ajudar naquilo que for necessário para o bem da comunidade. Deus em sua infinita bondade sabe a hora certa de agir, e restaurar a alegria quando ela ameniza. O Espírito Santo sopra quando quer, onde quer e como quer, já me dizia um grande amigo.”

    Erik Patrik Fantini, 23 anos, Brusque-SC
     
  • Djonatan Engelmann, 27 anos, Guaramirim-SC
    Ser dehoniano é ser presença, se colocar à serviço do reino do Coração de Jesus, doando-se ao próximo. É ter a hospitalidade de Marta e a serenidade de Maria para acolher o bom Mestre que se figura no outro. É dispor os dons recebidos para o bem da comunidade, do próximo! É comprometer-se com o bem-comum. É renovar o sim diariamente através da doação, do compromisso e da disponibilidade. Ser dehoniano é construir o céu aqui na terra!

    Djonatan Engelmann, 27 anos, Guaramirim-SC
     
  • Fr. Leonardo Jacomelli, scj
    “Deus é amor e quem ama permanece no amor e Deus permanece nele. (1Jo 4,16). Ser dehoniano é viver como São João, íntimo do Coração de Jesus. É viver e fazer o ordinário da vida, em espírito de amor e reparação, assim tornando nossa vida oblata uma extraordinária declaração de amor ao Coração de Jesus.

    Fr. Leonardo Jacomelli, scj
     
  • Iago Mafra Cunha, 21 anos, Itajaí-SC
    “Escolher um caminho a seguir, é atender um chamado. Chamado este, de ser dehoniano, abandonar-se nos propósitos de Deus. Ser Dehoniano é quanto menos esperar aceitar ao chamado de ser evangelho vivo do amor de Cristo. Fazendo com que isto, seja conciliado a cruz e o amor, para que estejam juntos, desta maneira, suavizando a cruz dos sofredores, assim, fazendo de um amor que se converta em reparação.

    Iago Mafra Cunha, 21 anos, Itajaí-SC
     
  • Ricardo Vinter, 27 anos, Jaraguá do Sul-SC.
    Ser dehoniano é uma proposta de vida, é um entre tantos caminhos que levam àquele objetivo maior, o de encontrar-se com Jesus e alcançar a santidade. A beleza deste peregrinar é o de ter a certeza de que Cristo realiza este itinerário junto a cada um. Deixar que o coração e a vida moldem-se ao querer do Senhor é a maior expressão da liberdade cristã, isto fica evidente ao reler as palavras do Filho de Deus, “Ecce venio”.

    Ricardo Vinter, 27 anos, Jaraguá do Sul-SC.
     
  • Thiago Hermenegildo de Faria, 32 anos, Brusque-SC
    “Para mim, ser dehoniano é estar disposto a ir ao povo, com o coração aberto para acolher e servir. Tive a graça de poder crescer dentro desse carisma. Amar e reparar a exemplo de Jesus, essa é minha vontade. Muitas coisas aconteceram em minha vida, andei por muitos caminhos. Agora, dentro da congregação, posso andar pelos caminhos do Senhor, seguindo suas pegadas. Não descansarei enquanto não conseguir distribuir o maior tesouro que já pude receber, o Sagrado Coração de Jesus.”

    Thiago Hermenegildo de Faria, 32 anos, Brusque-SC
     
  • Pedro Antonio Vesolli Ramos, 19 anos, Palmas-PR
    Ser dehoniano é fitar-se em Cristo, imitá-lo e segui-lo em todos os momentos; é ver que Ele sendo Deus se fez homem e quer que nós continuemos a anunciá-lo em cada momento, não com momentos fantásticos ou esplendorosos, mas com os mais simples e singelos momentos, fazer coisas que ninguém talvez veja, mas fazer com amor, creio que isso representa um caráter muito dehoniano.

    Pedro Antonio Vesolli Ramos, 19 anos, Palmas-PR
     
  • Emilio David Cáceres Paredes, 20 anos, Fernando de la Mora – Paraguai
    Ser dehoniano para mi puede tener muchas definiciones, pero principalmente ser dehoniano es ser un modelo, una persona en la cual se pueda ver a Cristo Jesús, en sus acciones, en su hablar, en sus estudios, en fin, en todo lo que haga. A través de las actitudes es que un dehoniano expresa nuestro carisma, aquello que nuestro querido padre Dehon formó con amor, cariño y sobre todo, con mucha fe, que con el pasar de los años se fortaleciendo hasta llegar a nuestros días.

    Emilio David Cáceres Paredes, 20 anos, Fernando de la Mora – Paraguai
     
  • Thiago Augusto, 21 anos, Joinville-SC
    Ser dehoniano é viver o amor e a reparação, nas pequenas coisas da vida! É entregar todas as ações e orações ao Coração de Jesus, em reparação daqueles que não o amam, não o conhecem e não o seguem. Ser dehoniano é ser missionário! É anunciar e proclamar o amor de Jesus Cristo com atos e ações, é saber renunciar a si mesmo para viver o que Cristo ensina e ir aonde Ele envia. Ser dehoniano não se explica!

    Thiago Augusto, 21 anos, Joinville-SC
     
  • Ailton Ebele, 25 anos, Guabiruba-SC
    Ser dehoniano é optar, em vista de um chamado realizado por Deus, a trilhar os caminhos de uma vida religiosa e sacerdotal, em busca de uma vida em constante oblação e reparação, tendo em vista a entrega total do nosso "eu", para Deus, àquele que nos deu a salvação é que nos guia para águas mais profundas.

    Ailton Ebele, 25 anos, Guabiruba-SC
     
  • Jacir da Cruz, 23 anos, Guabiruba-SC
    Quando digo que sou dehoniano, digo que estou inserido na escola de Cristo, onde, a partir do amor e da reparação, aprendo a amar, a perdoar, a me achegar de mansinho ao Seu afável Coração e ali implorar por amor. Aqui eu aprendo a rezar e contemplar o lado de Cristo transpassado sem perder aquela alegria que Cristo pede. Ser dehoniano é aprender a fechar a porta para o mundo, para que um dia eu saiba abri-la para Cristo... ser dehoniano é estar na escola do Coração Transpassado de Cristo!

    Jacir da Cruz, 23 anos, Guabiruba-SC
     
  • Roberto Berthelsen da Silveira, 31 anos, Jaraguá do Sul-SC
    Ser dehoniano é atender ao chamado de Deus com coragem, de se despojar de sua vida pelo outro, vivendo a radicalidade do Evangelho. É amar a Eucaristia e tê-la como alicerce da vida. Ser dehoniano é fazer a vontade do Pai, dizer sim sem medo ao Ecce Venio sendo disponível como Maria em seu Ecce Ancilla. É viver unido à Oblação de Cristo um só coração.

    Roberto Berthelsen da Silveira, 31 anos, Jaraguá do Sul-SC
     
  • Matheus José dos Santos, 25 anos, Joinville-SC
    Dado momento da minha vida, pensei: onde é o meu lugar na vontade de Deus? Ele tinha pensando em um lugar único e especial. Esse lugar é tão concreto quanto a vida que levo hoje. Hoje é a Congregação dos Padres do Coração de Jesus. O lugar da vontade de Deus é no Coração de Jesus! É no seio desse carisma, de amor e reparação, que encontro de fato o esse lugar.

    Matheus José dos Santos, 25 anos, Joinville-SC
     
  • Nahuel Cáceres, 20 anos, Uruguai
    É incrível como Deus conduz os caminhos para lugares que não esperamos. Quando menos o esperas Deus bate no teu coração te chamando para estar mais perto dele. Quantas vezes quis negar esse convite? Muitas. Porém seu amor foi mais forte e seu chamado foi mais alto. Ser do Coração de Jesus é uma graça que sobrepassa todos os limites humanos e espirituais. Ser Dehoniano é isso: no Coração de Jesus dizer SIM para amar, acreditar em Sua bondade e seguir Seus passos de reparação.

    Nahuel Cáceres, 20 anos, Uruguai
     
  • Cristiano Schneider, 29 anos, São Bento do Sul-SC
    Deus nos conduz, assim como o Pastor conduz suas ovelhas. Sou Cristiano, um dehoniano que encontrou no Coração de Jesus a graça de imitar as atitudes que brotam desse coração de Bom Pastor, do seu amor oblativo, de se entregar por cada um, como uma ovelha que se entrega nos braços do Pai.

    Cristiano Schneider, 29 anos, São Bento do Sul-SC
     
  • Bruno H. A. Farias, 20 anos, Jaraguá do Sul
    Ao falar de vocação, a palavra que me vem é AMOR. E onde posso encontrar tão belo amor se não for no Coração de Jesus? Procurando então algum lugar para amar esse Deus que me ama e me chama, encontrei a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus que pela forma de viver o chamado de Cristo, me atraiu os olhares e o coração. Com a oportunidade de entrar e se deliciar junto à fonte de amor, que é o coração de nosso Deus, tenho aqui vivido com muita alegria e satisfação.

    Bruno H. A. Farias, 20 anos, Jaraguá do Sul
     
  • Leandro Bittencout Loffi, 25 anos, Armazém-SC
    Entrei no seminário com 22 anos, acabara de cursar a faculdade de arquitetura, filho único, deixei pai, mãe e vim corresponder a um chamado: “Vinde após mim e eu vos farei pescador de homens” Mt. 4,19. Vivendo o carisma dehoniano encontrei o amor que supera o pecado, o amor que deixa noventa e nove ovelhas e vai de encontro à ovelha “Não basta fazer bem aquilo que fazemos, é preciso fazê-lo com amor.” (Padre Dehon).

    Leandro Bittencout Loffi, 25 anos, Armazém-SC
     
 
 
X
QUERO
SER
PADRE